buritizeiro desponta como capital do agronegócio no norte e noroeste de minas

No fim de semana aconteceu o encontro de empresários e lideranças para apresentação do Projeto Ouro Irrigado.


por Admin em 10/02/2020





Fonte/ Fotos: ASCOM/ PMB

A Prefeitura de Buritizeiro está apoiando um grande projeto para impulsionar o desenvolvimento agropecuário do município. O objetivo firmar parcerias e promover o imenso potencial do agronegócio buritizeirense, atraindo mais investidores e novos empreendimentos econômicos, ampliando a cadeia produtiva local e regional, gerando empregos, renda e uma série de outros benefícios.

O Projeto Ouro irrigado - “Buritizeiro capital do agronegócio no Norte e Noroeste de Minas” é a primeira iniciativa da Associação Comercial do Agronegócio do Norte e Noroeste de Minas/ACANNM, contando com o trabalho d’O Articulador (soluções comerciais e articulações políticas). O projeto foi idealizado pelo empresário Jean Fernandes Prado, da empresa PivôNorte Irrigação.  

O lançamento oficial do projeto aconteceu em 08/02, durante o encontro de empresários, produtores rurais e investidores realizado no Hotel Pousada Sertão Veredas. Juntamente com o Prefeito Jorge Humberto Rodrigues - “Jorjão”, os Deputados federal Rodrigo de Castro (PSDB) e estadual Marcos Lemos (PT) prestigiaram o evento e enalteceram a importância da iniciativa.

O Ouro Irrigado propõe uma soma de incentivos estruturais e fiscais da Prefeitura, Governos estadual e federal/Sudene, unindo esforços do poder público e da iniciativa privada em prol do desenvolvimento integrado e sustentável, de olho nos atrativos, nas potencialidades e vantagens de Buritizeiro em comparação com outros municípios e regiões, disse Márcio Cardoso, Coordenador da empresa O Articulador - soluções comerciais e articulações políticas.

Energia, acesso, licenciamentos e créditos

O idealizador do projeto, Jean Fernandes, foi direito ao ponto: “Maior oferta de energia elétrica e fotovoltaica; dificuldades de acesso e transporte (condições das estradas regionais e vicinais); demora e burocracia nos prazos para liberações de outorgas e licenciamentos ambientais; e mais oferta de créditos bancários para os produtores de grande porte. Esses são os principais gargalos que impedem o pleno desenvolvimento de Buritizeiro e um ambiente favorável de negócios na região”.

“Nosso objetivo é o aumento da produção e da arrecadação, da empregabilidade, da geração de riqueza e a melhoria das condições sociais”, acrescentou Jean. O empresário Arlen Oliveira (da empresa Rota 365), dirigente da ACANNM, considerou o projeto audacioso “diante das dificuldades de se produzir na região, levando em conta vários gargalos estruturantes. Mas é preciso somar forças e acreditar em Buritizeiro como o novo celeiro da produção agropecuária regional”.

Empresários, produtores rurais, representantes ruralistas, do Serviço Autônomo de água e esgoto/SAAE e CODEMA/Conselho de Defesa do Meio Ambiente de Buritizeiro também prestigiaram o acontecimento. Por sua vez, o Gerente do Banco do Nordeste (BNB) em Pirapora, Heberth Roney Caires de Sousa, informou que agência dispõe de R$ 70 milhões para investimentos na microrregião, dependendo de bons projetos produtivos que atendam a legislação vigente.

 

Oferta de água: O diferencial de Buritizeiro



A combinação de uma grande oferta de água, terras e áreas irrigáveis, condições climáticas (temperaturas e regime de chuvas) e localização geográfica, são fatores decisivos e favoráveis ao patamar de Buritizeiro como crescente produtor de grãos (soja, milho, café etc), com direito a números expressivos na pecuária, agricultura familiar e no extrativismo, além dos reconhecidos atrativos no turismo rural e ecológico.    

Num segundo momento, o Projeto Ouro irrigado será oficialmente apresentado pela ACANNM e uma comitiva regional ao Governo de Minas (Secretaria de Estado do Desenvolvimento econômico) e à CEMIG. Todas as ações, projetos e articulações da associação serão divulgados e multiplicados através de conteúdos multimídia, plataformas digitais e imprensa.  

Tanto a ACANNM como o lançamento do Projeto Ouro irrigado contaram com o apoio decisivo do Secretário municipal de Planejamento e gestão, Orígenes Pereira de Oliveira. Ele lembrou que “a fronteira agrícola buritizeirense foi inicialmente mapeada pelo Engenheiro Dr. Nilo Mendonça Costa Siqueira e o Geógrafo Dr. Hernando Baggio nos idos de 1998, época em que 1 hectare de terra no cerrado custava apenas R$ 60. Esse trabalho pioneiro originou o 1° Encontro de investidores e produtores rurais ocorrido no antigo Sítio Paraíso. Foi o começo de tudo”.  

Para o Deputado Marcos Lemos, “o crescimento do agronegócio deve refletir em melhoria da qualidade de vida da população e esse projeto está pensando no futuro, de forma conjunta. Por isso nos colocamos à disposição para apoiá-lo e encaminhá-lo aos diversos setores do Governo de Minas e da CEMIG”. 

 

Esforço conjunto pela estrada MG-161

O Deputado Rodrigo de Castro mencionou que “os recursos do Banco do Brasil também serão essenciais para alavancar esse grande projeto econômico, valorizando a classe dos produtores rurais que vem garantindo o superávit da balança comercial brasileira e a oferta de postos de trabalho. Entendemos que a expansão/modernização da rede energética da CEMIG, assim como maior agilidade nos licenciamentos ambientais dos produtores, serão duas medidas fundamentais para a polarização do agronegócio regional em Buritizeiro”.

Os parlamentares lembraram que recentemente reforçaram o pedido de melhorias e/ou pavimentação na MG-161, estrada de ligação entre Buritizeiro e o distrito de Paredão de Minas, com extensão até os municípios de Santa Fé de Minas e São Romão. No total, 138 km - incluindo 40 km de pontos críticos. Importante via de escoamento da produção regional e ligação entre diversas comunidades rurais, englobando uma párea com mais de 39 mil habitantes.

O desafio, a médio prazo, é viabilizar uma grande parceria público-privada unindo Governo do Estado, Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem/DEER, prefeituras, vereadores, deputados, empresários e produtores rurais visando o asfaltamento total da MG-161. Cerca de 91 km da estrada estão dentro do município de Buritizeiro, sendo 70 km cobertos de areia, o que complica seu estado de conservação e trânsito em tempos de seca e chuva.

 

Usina solar em Buritizeiro

O Prefeito Jorge Humberto reafirmou a aliança do governo municipal, dos 2 deputados e vereadores de apoio com a ACANNM e o Projeto Ouro irrigado, com o compromisso de fomentar o desenvolvimento e consolidar um programa permanente de desenvolvimento sócio-econômico em Buritizeiro: “Somos o 4° município em extensão territorial, convivendo com uma série de limitações orçamentárias e estruturais para atender as demandas da cidade, do campo e mais de 28 mil habitantes”.

A extensa zona rural de Buritizeiro (com 7.226 Km2) abrange dezenas de comunidades rurais, projetos de assentamento e 760 propriedades - de vários portes, onde vivem 3,3 mil moradores, incluindo mais de 1,5 mil agricultores familiares. São 7 mil km de estradas vicinais, 300 km de margem esquerda no Rio São Francisco e mais 360 km de afluentes e subafluentes. Essas imensas dimensões territoriais e distâncias são alguns dos principais desafios enfrentados pela prefeitura.

Vale a lembrança: O Governador de Minas, Romeu Zema, assinou em 2019 um protocolo de intenção com a empresa Mori Energia Holding S.A para a implantação de 32 novas usinas fotovoltaicas em 17 municípios mineiros - incluindo BURITIZEIRO - somando 110MW e um investimento da ordem de R$ 523 milhões. “O índice de insolação, na região Norte do estado é muito alto, o que viabiliza essa quantidade de usinas fotovoltaicas, gerando empregos, royalties e impostos”, comentou o Prefeito “Jorjão”.

 

Números expressivos

De acordo com o IBGE, o Produto Interno Bruto (PIB) de Buritizeiro totaliza R$ 411,7 milhões. O setor agropecuário/extrativista responde pela maior parte da economia, movimentando R$ 178 milhões no ano. São 522 tratores, 88 semeadeiras e plantadeiras, 35 colheitadeiras, 85 adubadeiras, 874 caminhões e caminhonetes trabalham diariamente nas propriedades locais.

A economia rural buritizeirense reúne 10 grandes produtores de soja (que colheram 43,9 mil toneladas/ano em 13 mil hectares plantados); 42 grandes e médios produtores de milho (com 51,8 mil toneladas colhidas em 6,6 mil hectares); 76 mil cabeças de gado, 18,5 mil suínos e 70 mil hectares de reflorestamentos - que produziram 179 mil toneladas/ano de carvão.








Mais Notícias